A prescrição é fundamental para a aquisição de medicamentos à base de Cannabis. Sem ela o paciente não poderá usar derivados de Cannabis com a devida autorização da Anvisa, que tem aceitado prescrições para diversas condições de saúde, seguindo a avaliação dos médicos nos laudos anexados aos pedidos excepcionais de importação. As normas para pedido de produtos contendo canabinoides estão descritas na Resolução da Diretoria Colegiada da ANVISA nº 17 de maio de 2015.

O Conselho Federal de Medicina também autoriza o uso compassivo de extratos ricos em canabidiol para o tratamento de convulsões em crianças e adolescentes portadores de epilepsias de difícil controle. As especialidades de neurologia e suas áreas de atuação, de neurocirurgia e de psiquiatria estão expressamente autorizadas a prescrever o canabidiol no Brasil. Os pacientes deverão preencher critérios de indicação e contraindicação. A seleção levará em conta se a criança é refratária aos tratamentos convencionais, segundo definição proposta pela International League Against Epilepsy (ILAE).

O protocolo para uso do canabidiol prevê, ainda, que deverá ser utilizado em adição às medicações que o paciente vinha utilizando anteriormente. Ou seja, ele não deve substituir completamente outros medicamentos, devendo ser administrado de forma associada. A dose mínima, por via oral, será de 2,5 mg por quilo, divididas em duas vezes ao dia. O médico poderá ajustar a recomendação e aumentá-la, segundo os parâmetros previstos na Resolução CFM nº 2.113/14.

Há comprovação dos benefícios dos compostos da Cannabis para o controle de dores crônicas, de náusea e vômitos, de sintomas da esclerose múltipla e controle de convulsões em casos de epilepsia de difícil controle.

A eficácia da Cannabis para cada aplicação clínica precisa de comprovação em estudos clínicos controlados, mas o número de pesquisas na área tem crescido rapidamente, estimulado por resultados promissores em ensaios pré-clínicos e devido ao crescente interesse da comunidade científica pelo sistema endocanabinoide.

Para saber mais, confira a nossa seção de estudos científicos relevantes sobre as pesquisas com a Cannabis e canabinoides para diferentes doenças e condições.